domingo, 7 de setembro de 2014

Without Love- Capitulo 3

Ela se sentia bem conversando com alguém como ele. E agora sentia saudades das loucuras que faziam nas turnês mundias juntos. Ah, bons momentos... entre amigos, claro, porque aquela época fora a mais obscura de toda a sua vida. E logo depois ela descobriu outro jeito de ser feliz ao lado dele. Mas dessa vez seus lábios se tocavam e eles ficavam juntos por horas ou até dias. Mas era tudo mentira. Joe tinha feito aquilo por puro interesse ou até... pena? Talvez, ele realmente ficara muito assustado quando ela virou e disse ''somos perfeitos um pro outro, será que você não vê?'', Não sabia o que falar, então saiu correndo. Depois de conversar com seu empresário e com seu pai, decidiu que era melhor concordar , pois ambos ganhariam com isso. Mas ela acreditou. E terminar foi um choque. Uma ressaca que durou dias. Ainda mais depois que ele levou sua nova namorada, Ashiley Greene, para a tour junto. Ah, aquilo foi a gota d'água. Mas até que ajudou de alguma maneira sua ida para a reabilitação, o que mudou a sua vida.

~FLASHBACK~

''Eu... concordo com o que você disse. Devemos ficar juntos. Demi, quer namorar comigo?''
''Eu amo você, Dem''
''Desculpa mas... não dá pra mim. Não posso continuar com isso sem magoar você depois. Eu.... realmente te amo, mas não desse jeito que você está pensando.''
''Essa  é a minha namorada, Ashiley Greene, ela vai viajar com a gente na tour''
Esses momentos vinham e voltavam na sua cabeça enquanto tragava mais um cigarrinho verde. Chloe já tinha sua fala embolada e não conseguia mais entender o que ela dizia. Miley estava na sua frente, concentrada na fumaça que saia de sua boca e deu ais uma golada na vodca ao seu lado.

-Quer Demi? - Miley ofereceu. Demi pegou a garrafa da mão da amiga e o líquido forte desceu queimando sua garganta abaixo. ''Isso é muito louco, mas eu não preciso de você, Joseph Covarde Jonas.'' pensou. Seu camarim tinha o chuveiro ligado e uma toalha na brecha da porta, além de um mini ventilador arejando o quarto. Ninguém podia saber que elas estavam fazendo isso. Mas ela também não se lembrava a quanto tempo estava ali sentada fumando e bebendo. Só sabia que ja estava cansada e queria dormir.
  Aquela dor de cabeça matadora a acordou bem tarde naquele dia seguinte. Chloe estava dormindo só de calcinha abraçada à garrafa de vodca no carpete e Demi imaginou o que ela tinha feito depois que foi dormir pra acabar daquele jeito. Procurou por Miley, mas essa já devia ter ido embora a muito tempo, já que também tinha uma agenda a cumprir, além do mais, Miley era a mais forte de todas ali, ela só ficava bem mal por causa das drogas depois de usar por muito tempo, uns cigarros eram pouco pra ela. Já Demi, no terceiro cigarrinho, já estava vendo pôneis amarelos cantando pra ela uma musica do Elton John. Era bem louco.
 Naquela tarde, ela tinha que pegar um avião pra mais um show que ela nem sabia pra onde seria, ela só era levada de um lado pro outro, como uma bagagem. Só isso. Joe e Ashiley caminhavam na sua frente em direção à seus assentos quando ela viu suas mãos dadas. Um ódio subiu por suas veias e ela não pode se controlar. Coitada, Alex, a dançarina da turnê, sua amiga de farra, que vinha tagarelando atrás dela, foi a vítima da vez. Demi não conseguia enxergar por causa das lágrimas, só sabia que queria chorar, não importa onde, mas queria chorar. Caiu de joelhos, tampando o rosto com as mão enquanto ouvia as pessoas a chamando e Alex chorando e repetindo ''Meu Olho! Meu olho". Ela precisava de silêncio. '' Desculpa desculpa desculpa desculpa desculpa'' ela repetia. Tampou os ouvidos ainda no chão e fechou os olhos com força, enquanto um pandemônio se formava a sua volta. Enfermeiros, seguranças, aeromoças e paparazzis, muitos paparazzis tentavam entrar. ''me deixem em paz, me deixem em paz'' repetia enquanto ouvia as pessoas brigando com ela. Sua cabeça estava um zona e ela queria pular daquele avião o mais rápido possível, e correr pra qualquer lugar, deixar tudo pra trás. Sentiu braços a envolverem e sentiu o calor de Dianna. Sua mãe estava agachada na sua frente. Com os irmãos Jonas em volta. Os três a olhavam preocupados. Mas sua mãe a olhava como quem entendesse, como quem estava ali pra ouvir qualquer coisa, qualquer dúvida, qualquer resposta. - Vamos para um outro vôo, amor. - sua mãe disse, a tirando de dentro daquela muvuca.
- Tia Di, nós podemos ir com você. - ofereceu Nicholas.
- Dianna, tem certeza que não precisa de mais ninguém junto? - até Ashiley estava ali preocupada. Claro, Demi sempre estranhou sua presença, mas ela entendia isso. Mas sempre fora muito fã das músicas de Demetria e sentia uma grande simpatia pela garota.
-Tenho certeza, Ashiley. Agora, ela só precisa ficar um pouco quieta - Dianna respondeu com um sorriso de gratidão sincero e acariciou os cabelos platinados da filha, que mantinha o rosto enterrado no pescoço da mãe. Ashiley era uma boa menina, independente de quem namorada, era um doce.
- Ligue quando chegar, aliás, ligue quando quiser, vamos esperar no hotel. - Joseph disse. Ele já tinha tentado chegar perto da garota, mas ela se recusava a soltar a mãe. Desistiu e planejou falar com ela depois.
 Mãe e filha assistiram o avião decolar e foram fazer o check in pro próximo voo, dali a 20 minutos.  A garota não dinha dito nada até agora e olhava para as nuvens da janela. Dianna acariciava seus cabelos e Demi se sentia confortável ali com a mãe. Não precisava de mais ninguém ali com ela. Seu celular devia estar dentro de alguma bagagem, não queria olhar na internet agora. O olho roxo de Alex devia estar estampado em todos os jornais e Demi devia ser a bruxa do momento.
 Já no hotel, ela foi direto pro quarto descansar. Sua mãe se deitou ao seu lado e as duas dormiram abraçadas, como fazia antigamente, logo depois de seu pai abandonar as duas e Demi começar a ter pesadelos sérios com o abandono. No dia seguinte, acordou no mesmo horário de sempre. Tomou um café da manhã básico e se sentou na cama, olhando pro nada. Sua cabeça estava uma bagunça. Não sabia o porque. Nunca foi de brigar desse jeito, principalmente sem motivo. Alex sempre fora tão legal com ela. Mas a raiva que surgiu tomou conta. Mas ela não queria machucar ninguém. Ninguém. -Demi? - sua mãe atraiu sua atenção com uma voz calma. - Quer falar sobre alguma coisa? - perguntou se sentando ao lado da filha e a abraçando de lado. A garota assentil. Mas não sabia por onde começar.
-Eu não sei o que aconteceu mãe. - explicou.
-Sei que não sabe, amor. Mas me diga como estava se sentindo. - ela tinha que contar toda a verdade, tudo. Para ser ajudada.
- Mãe, eu tenho que te contar coisas... - começou devagar. Explicou tudo. Tudo mesmo. Desde o bullyng na escola até o dia anterior. Exatamente tudo. Sua mãe tinha lágrimas silenciosas enquanto ela, bom, soluçava loucamente agarrada ao tronco da mãe. - Desculpa, mamãe. Desculpa.
-Nós vamos te ajudar. - afirmou. Ela ia curar sua menininha. Ia sim. Ia ficar tudo bem. - Você quer ser ajudada?
-Quero. - ela afirou. Não aguentava toda essa vida. Estava totalmente perdida e fora de controle.
-Você vai ter que contar essa história pra toda a equipe. - Dianna disse e sentiu a filha gelar. Espera. Todos iam ter que saber de seus problemas mais obscuros. - Filha, você precisa contar, pelo menos pra produção. Além do pessoal da Disney.Mas antes, precisamos ir num médico. Aí então damos o resultado pra toda a produção. Aceita?
- Aceito mãe. - ela estava disposta a se curar.
 Depois da consulta, Demi estava horrorizada. Sofria de Distúrbios alimentares e automutilação. Agora era a parte mais difícil: Contar pra todo mundo.
- Oi pra todo mundo - Demi começou, olhando a enorme quantidade de pessoas olhando pra ela. Alex estava num canto , emburrada. - Eu devo explicações a todos vocês, então vamos do início. Eu fui ao médico essa semana e descobri que sofro de.... - olhou pra sua mãe ao seu lado, sem saber se devia ou não - Distúrbios alimentares, automutilação , anorexia, bulimia, além do meu vício em drogas e bebida. - fechou os olhos ao terminar de falar isso. Estavam todos assustados e tensos. Podia sentir isso.
- O que pretende fazer? - ouviu a voz de Kevin perguntar.
-Podemos fazer alguma coisa? - Denise então perguntou.
- Precisamos pensar em algo. - Nicholas disse, exasperado. Ele e os irmão tinham lágrimas nos olhos, do mesmo jeito que a maioria ali tinha.
- Vamos cancelar a turnê- Joseph disse sério. Aquilo não podia estar acontecendo.
-NÃO! - Demi o interrompeu - Digo... não. Não quero causar novos problemas, não mais do que já causei. - disse olhando para Alex com súplica. A menina agora tinha um processo contra Demi na justiça.
- Mas você precisa de ajuda, Demetria! - Joseph elevou a voz.
- Eu sei! Eu preciso sair e vocês precisam continuar o show! Milhões de pessoas estão esperando esses dias por meses! Vocês podem fazer isso sem mim! Olha a quantidade de cantoras incríveis que temos na produção! - apontou para as colegas de elenco - Eu preciso de ajuda, mas é uma coisa que eu preciso fazer sozinha, eu preciso crescer, Joseph! - Demi mal conseguia dizer essas palavras. ''Eu preciso de ajuda para crescer, mas preciso fazer isso sozinha'' era isso que soava em sua cabeça e pela primeira vez em tempos, ela acreditou que podia.
- Ela está certa, Joseph. - a voz do Papa Jonas soou pela primeira vez na conversa - Ela precisa de ajuda. Mas não ajuda nossa. Ela precisa encontrar ajuda dentro de si mesma. O máximo que podemos fazer é apoiar e continuar o show. Se é isso que você quer, se é disso que precisa, que assim seja. Sua saúde em primeiro lugar. Você tem o nosso apoio. Só precisamos descutir coisas do contrato. Queremos que você fique bem, Demi. - Demi olhou agradecida para Paul. Ele era um homem sério quando se tratava da felicidade dos filhos e da dela também, aliás, sempre a tratou como uma filha.
Chegou o grande dia. Já estava tudo decidido, Demi iria pegar um avião direto para  Lemont, Illinois, e depois iria para a Clínica de Reabilitação para Mulheres, Timberline Knolls Treatment Center. Já tinha se despedido de tanta gente, tipo seus colegas de elenco de Sunny, Kim Kadashian, Selena Gomes, Miley Cyrus, Taylor Swift, Família Jonas, sua própria família e muitas outras pessoas. Agora, com ela ali, só estavam seus pais, irmãs e os irmãos Jonas.
10 minutos para o embarque.
- Tchau Demi, fica com Deus, vai dar tudo certo - dizia Kevin ao abraçar a menina.
- Demi, fica bem, estamos sempre aqui pra você, porque te amamos. - foi a vez de Nick e ela já estava chorando de saudades. Era a vez de Joe. Ele estava quieto a alguns dias, sempre distante de tudo.
- Ei. Eu que vou embora e você que fica com essa cara? - perguntou tentando fazer ele rir. Mas em vez disso, recebeu um abraço inesperado. O garoto estava chorando com o rosto enterrado em seu peito e ela não sabia o que fazer - ei... eu vou ficar bem. - acariciou os cabelos negros dele. Iria mesmo?
- Desculpa por mentir pra você. Mas eu ainda te amo, Demi. Fica bem. Me liga assim que puder, assim que eu puder te ver eu vou. Tudo bem? - ele segurou sua cabeça em mão e olhou bem no fundo de seus olhos- Quero você bem, quero que você volte maior e melhor. Quero que você volte pronta pra conquistar o mundo, porque você pode. E nós confiamos em você e, acima de tudo, te amamos. - mais um último abraço - stay strong. - e então se soltaram. Demi não sabia o que responder. Mas sorriu concordando. Era agora, 2 minutos para o embarque. Deu mais um abraço apertado na família e depois todos deram um abraço coletivo. Ela não estava sozinha, e sabia disso.

~ FIM DO FLASHBACK~

- Dem, ''eu quero você bem, quero você maior e melhor. Quero você pronta pra conquistar o mundo, porque você pode. E nós confiamos em você'' - ele repetiu as palavras de 5 anos atrás e fez a menina sorrir.
- Obrigado por isso.
- Just know that you're not alone

2 comentários:

  1. Oiiie
    Mdss q capitulo perfeeeitooo *-* eu to urrando aqui com tanta perfeicao
    Posta Logo
    Xoxo

    ResponderExcluir
  2. Unexpectedly with the above sharing of you. Allow yourself to share about the website quà tặng tết

    ResponderExcluir

Comentem !!!
Lembrem-se de sempre respeitar a opinião da autora e dos outros leitores.
Beijemi!
Amo todos vocês!